Síndrome do Cachorro Vira-Latas,

Nelson Rodrigues que foi um jornalista e um cronista genial disse certa vez que o brasileiro tem a síndrome do cachorro vira latas.

Trocando em miúdos ele queria dizer que para o brasileiro tudo que é importado é muito melhor.

Quero falar especificamente na síndrome do cachorro vira latas aplicada na vida profissional,  é especificamente aqui que iniciamos o prejuízo nosso de cada dia.

A síndrome do cachorro vira latas age diretamente na autoestima e na autoconfiança das pessoas, assim, as pessoas que são acometidas desta síndrome tem a certeza de que são sempre inferiores as demais pessoas.

E como surgiu esta síndrome?

Esta síndrome remonta dos tempos do descobrimento do país. Naquele tempo quando os portugueses aqui chegaram com o objetivo de explorar as riquezas da colônia tinham como estratégia catequizar os nativos e depois os moradores para acabar com a resistência, assim facilitaria a extração e envio dos nossos tesouros.

A estratégia usada foi aplicada pela igreja católica que naquele tempo doutrinava as pessoas com um espírito de miséria disfarçado de espírito de humildade.

E este pseudo espírito de humildade foi passado de pai para filho e de geração em geração até chegar nos dias de hoje.

Puxando pela memória ainda me lembro de minha mãe me falar que o reconhecimento deveria vir das outras pessoas e que eu não devia me vangloriar de bons resultados na escola, mesmo assim eu não concordava com ela, achava que eu tinha que ser o primeiro a reconhecer meus pontos fortes e meus pontos fracos, somente assim conseguiria ser uma pessoa melhor.

Contar um bom resultado sempre era encarado como um ato de arrogância entre outros adjetivos piores.

E assim, de caso em caso, fomos aprendendo a não dar valor em nossa aparência, em nossa inteligência, em nossos talentos, nas nossas vitórias, nas nossas empresas, no nosso país, em nossa cidade e assim por diante.

E quais são os principais prejuízos?

E como a nossa autoestima está sempre em baixa arrastando a nossa autoconfiança junto, acreditamos que não somos capazes de construir uma vida extraordinária, e com isto vamos nos acostumando a levar uma vida bem meia boca.

Por isto muitos de nós tem relacionamentos meia boca, empregos meia boca, amizades meia boca, um salário meia boca, fazemos viagens meia boca, comemos e bebemos produtos meia boca, enfim, não exigimos quase nada de nós mesmos, pois acabamos nos tornando pessoas meia boca.

Você acredita mesmo que não é capaz de melhorar significativamente a sua vida?

Você acredita que quando foi nascer o nosso Deus mandou você para a fila dos sem talentos, sem força, sem graça?

E como eu posso mudar isto tudo?

Pois bem, a primeira coisa que é necessário fazer é entender que a síndrome do cachorro vila latas não é sua e por isto você deve tirar os efeitos dela da sua vida.

Em segundo lugar, você deve definir quem você quer ser e qual a vida que você quer levar, afinal de contas ninguém pode determinar algo a respeito da sua vida a não ser você mesmo.

E outra coisa, parando para pensar um minuto. Já notou como o cachorro vira latas é mais forte que os seus irmãos de pedigree?

Ele tem como pontos fortes a adaptabilidade, sobrevive com pouco, quase não adoece.

Se realmente somos cachorros vira latas, somos no mínimo mais fortes que os outros, mais adaptáveis, mais espertos, portanto, podemos construir uma vida extraordinária em qualquer instante de tempo.

E quando você for determinar as coisas na sua vida, determine ser o melhor, pois assim vai sempre estar buscando o ponto mais alto da escada.

Você deve estar se perguntando assim, e se eu não conseguir e fracassar?

Se você fracassar na sua busca pelo lugar mais alto da escada, ainda assim terá muito mais sucesso do que a maioria da pessoas.

Acredite mais em você, você pode, você é especial, mesmo achando que é um cachorro vira latas.

 

Um abraço do Coach

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *