Os 3 erros que os Líderes mais cometem

E que frequentemente afastam os resultados de todo o time

E a liderança erra?

Bem, esta é uma pergunta bastante poderosa, pois sempre teremos várias respostas possíveis dependendo do ângulo que olhamos a questão.

Eu recebi esta pergunta de um dos meus amigos em uma das minhas redes sociais e achei que a pergunta merecia bem mais do que apenas uma resposta fechada, sim, a Liderança erra, e erra muito, mesmo aqueles que tem certeza de que são muito bons líderes.

Então resolvi escrever este post com o objetivo de ajudar aos milhares de líderes que comentem estes erros todos os dias.

Erro 1 – Acreditar que a experiência do profissional é suficiente

Isto mesmo, a grande maioria dos processos de recrutamento e seleção pede como critério a famosa experiência, ou seja, que o candidato tenha trabalhado naquele cargo  ou função por um determinado tempo.

Vamos para o detalhe importante deste erro, empresas, processos e pessoas não são iguais e por mais que o candidato tenha tempo de janela executando determinadas tarefas isto não garante que o candidato tenha as habilidades e os conhecimentos adequados para a função que se está contratando.

Além disto, muitos líderes não participam diretamente do processo, ou seja, deixam o processo todo acontecer para entrar somente na ultima etapa, escolher entre os selecionados, aí ele entra na entrevista, faz algumas perguntas de controle e acaba escolhendo.

Não, a experiência do profissional não é suficiente, pois ele tem conhecimento de processos e metodologia e nada garante que ele tenha domínio completo e mais, nada garante que ele vai entregar resultados.

Erro 2 – Colocar um colega para treinar o novato

Após a contratação o novo colega chega para o seu primeiro dia de trabalho e o que acontece?

O Líder recebe o novato e logo determina um colega veterano para iniciar o treinamento, quando não é o próprio profissional que está deixando a empresa que recebe esta missão.

O que vemos quando isto acontece, quem treina os novatos treina do seu jeito, passa as informações que ele acredita serem importantes, passa as suas crenças e sentimentos para o novato, e assim vai poluindo o novato, pois o mesmo está aberto a todas as informações e acaba absorvendo tanto as coisas boas quanto as coisas ruins.

O certo é que o novato seja treinado pelo Líder,  e se o Líder não tem tempo para treinar os novatos da equipe é sinal que ele está envolvido como trabalho operacional e isto explica em parte a falta de resultados que vemos nas empresas hoje em dia.

Erro 3 – Não ser claro o suficiente no que a empresa espera do novo funcionário.

Como o Líder não se envolve profundamente no recrutamento e seleção e  também se envolve pouco no treinamento do novato o que vemos é que quando o novato assume o posto sozinho o mesmo se encontra muitas vezes perdido e inicia um período de salve-se quem puder.

Ele vai buscando informações em várias fontes e vai tentando fazer o melhor que ele pode, nem sempre conseguindo, e muitas vezes se frustrando por não conseguir.

Mas apontar o erro é muito fácil, não é mesmo? Vamos apontar também a solução para estes 3 erros

A primeira solução, quando abrir um processo seletivo, o líder deverá detalhar os conhecimentos técnicos, as habilidades necessárias e as responsabilidades da função em que está contratando. Assim os candidatos entendem melhor o que é pedido como pré-requisito.

O Líder deve se envolver em todas as etapas da seleção, incluindo a leitura de currículos e fugir da armadilha de aprovar os candidatos que não reúnem todos os pré-requisitos.  Por mais obvio que seja esta dica ainda vemos muitos processos seletivos serem tocados para frente com candidatos que não tem os pré-requisitos devido a pressão da substituição.

A segunda solução, após a contratação o novato deve ser recebido pelo Líder que deverá se preparar e adiantar todas as suas tarefas e responsabilidade para que possa se dedicar tempo integral ao novato, a sua integração na empresa, passar as responsabilidades, apresentar a carta de premissas, informar sobre as avaliações de desempenho e o período das avaliações e também realizar o primeiro treinamento básico.

Após o primeiro dia, o Líder deve ter pelo menos uns 15 minutos de acompanhamento diário das tarefas e resultados entregues pelo novato, bem como trabalhar o comportamento, posicionamento e também o relacionamento com a equipe.

A terceira solução está dentro da segunda, ao realizar a integração do novato, o líder tem uma oportunidade única de deixar bastante claro o que a empresa, o líder e a equipe esperam do novato. Esta ação devidamente registrada no documento que implantamos chamado “Carta de Premissas” serve de mapa para as ações e comportamento do novato enquanto ele permanecer nesta posição.

Agora, se ele muda de cargo ou função, a segunda solução deve ser realizada novamente, assim o Líder garante o retorno de investimento da equipe.

Ah! e antes que eu desperte a ira dos Líderes que podem achar que eu estou julgando e isto e aquilo e mais aquilo outro.

A culpa não é dos Líderes,  é verdade.

Acontece que a maioria vem fazendo exatamente como sempre foi feito nos últimos 30 anos, ou seja, da forma que aprendeu, mas o mundo mudou muito, as pessoas também, então o que funcionava no passado não tem garantia nenhuma que funciona hoje em dia.

Valeu a dica? Dream Líder Vem comigo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *